sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Lesoto (Maseru)

Lesoto (Maseru)

LESOTO, TERRA DE MONTANHAS


O pequeno país de Lesoto, encerrado no coração do Sul da África, guarda uma série de montanhas, paraíso para os mais aventureiros, como seu tesouro mais apreciado. Seu pequeno tamanho se ve engrandecido pelas paisagens e a população que soube conservar a identidade e sua independência. Ainda pode-se ver marcas da colonização inglesa.

Lesoto (Maseru)



O Reino de Lesoto ocupa uma superfície de 30.355 quilometros quadrados. O país está dividido administrativamente em 11 distritos e, por sua vez, estes em 221 condados. Encontra-se na totalidade ao sul da linha do trópico e completamente rodeado pela República Sul Africana. É um país montanhoso onde o cume mais alto é o Mont Aux Sources (3.299 m.); a cordilheira Drakensberg é o limite ao leste com a província sul africana de Natal. Apenas uma faixa junto à fronteira norte ocidental tem uma disposição de suaves colinas, com alguma pequena planície.

Lesoto (Maseru)

Os rios principais são o Orange e o Caledom, nascentes no planalto formado ao norte com uma altitude entre 2.750 e 3.200 m. Quase toda a rede hidrográfica caracteriza-se por percursos tortuosos, difíceis pelas complicações dos vales. Os rios de Lesoto têm carácter torrencial, devido em grande parte à escassa superfície de seu território.
Lesoto (Maseru)

O clima é continental, devido a sua elevação sobre o nível do mar, goza de um bom clima. As temperaturas máximas no verão não superam os 31 e no inverno as mínimas se acercam aos 01. Chuvas são frequentes e chegam de outubro a abril e de maio a junho (nas altas montanhas caem na forma de neve).

Flora e Fauna

Devido às altas cotas e a latitude a flora é pobre e deixa de ser tropical; as grandes árvores encontram-se principalmente ao longo das beiras dos rios; em troca, abundam os pastos.
A fauna tampouco é abundante a exceção de zebras, girafas e antílopes. Mas é um país abundante em gados: ovelhas, cabras, vacas; conta, também, com cavalos e jumentos. O relevo do país faz que a principal riqueza seja a criação de gado e não a agricultura.



História de Lesoto

Lesoto é o nome dado pelos indígenas ao país. Basutolândia foi o nome dado pelos britânicos enquanto domínio destes, nome que significa "país dos basuto".
Lesoto nasceu no século XIX e conseguiu ter uma importância política, devido a sua estrutura nacional, ao valor dos habitantes, a fatores externos e, sobre tudo, à habilidade do seu chefe: Moshesh.


Lesoto (Maseru)

O domínio britânico instaurou-se em 1884, devido a acontecimentos prévios do terceiro e quarto decênio do século XIX: no começo do século XIX vários grupos de basutos agruparam-se sob o mando de Moshesh; à partir de 1830 surgem os atritos entre os basuto e os boers. Moshesh pediu ajuda ao império britânico e foi-lhe concedida em 1868; no ano 1871 o território é anexado à província do Cabo, mas é em 1884 quando passa ao domínio direto britânico. O domínio durou até 1966, conservando uma dinastia indígena. Quando o Sul da África saiu da Commonwealth, a situação complicou para Lesoto, pois Sul África não viu com bons olhos este lugar britânico.
Em 1966, pela Conferência constitucional de Londres, Lesoto se constituiu em uma monarquia independente dentro da Commonwealth.



Arte e Cultura de Lesoto

A maioria das pessoas são, ao menos nominalmente, cristãs, mas ainda as crenças tradicionais são fortemente conservadas por muitas pessoas nas áreas rurais. Eles acreditam em um ser supremo e também nos antepassados mortos agindo como intermediários entre as pessoas e as forças caprichosas da natureza. A maldade está sempre presente, ocasionado pelos boloi e thkolosi, os seres maléficos que têm muito a ver com os duendes. Uma ngaka é uma pessoa douta, uma combinação de feiticeiro e doutor capaz de combater estas forças.


Locais Turísticos de Lesoto

MASERU

Maseru tem sido um remanso de tranquilidade durante grande parte da sua história. A maioria da população, que é de 100.000 habitantes, chegou nos anos setenta. Esta cidade segue sendo um lugar agradável e fácil de visitar, e centro de lazer para a maioria dos cooperantes estrangeiros. Oferece-se a possibilidade de realizar caminhadas na serra da montanha, distanciando o turista da cidade, ou começar nas imediações do hotel Maseru Sum até chegar a uma planalto, onde existe umas fantásticas vistas; trata-se da montanha Moshoeshoe, em Thaba-Bosiu.

MASERU

Trata-se de uma cidade bastante segura, mas recomenda-se estar atento de noite, especialmente se está longe da rua principal. É também frequente a presença de crianças pedindo dinheiro. É a capital do país, uma animada cidade com todas as comodidades.

MASERU


THABA-BOSIU

A fortaleza da montanha Moshoeshoe está ao leste de Maseru. Há muito boas vistas e pode-se avistar os restos das fortificações. Existem guias que por um preço módico conduzem o turista a todo o conjunto.
Para chegar ali aconselha-se tomar um mini-ônibus ou táxi. Levando carro próprio há que seguir a estrada principal do sul, ir em direção Roma e depois de 6 quilometros virar à esquerda. Thaba-Bosiu está a 10 quilometros.

THABA-BOSIU

BUTHA-BUTHE

Na metade do caminho entre Butha-Buthe e Leribe estão as Pegadas do Dinossauro do Rio Subeng. Deve descer ao rio desde a estrada até uma determinada calçada, aproximadamente 250 metros. As pegadas de, ao menos, três espécies de dinossauros estão a uns 15 metros correnteza abaixo, a márgem direita.

BUTHA-BUTHE


LERIBE (HLOTSE)

Leribe foi um centro administrativo sob a inglesa Major Bell´s Tower na rua principal perto do mercado; foi construido em 1879 e originariamente era um armazém para os arquivos dos arrecadadores de comissões do distrito.

LERIBE (HLOTSE)


TSIKOANE

Encontram-se pegadas de dinossauro a uns poucos quilometro ao sul de Leribe, no povoado chamado Tsikoane.Vindo do norte em direção Leribe, existe uma pequena e empoeirada estrada ao desviar para a direita, para uns afloramentos rochosos; deve seguir esta estrada até a Igreja e consultar algum patrício pela direção a Minwane. Está a 15 minutos da montanha, a qual conta com uma série de grutas.
Há um centro de formação agrícola justo aos arredores da cidade, e também, a Missão Católica que encontra-se a 10 quilometros de distância de Leribe.

Lesoto (Maseru)

MAPUTSOE

Nesta cidade fronteriça cruza o rio Caledom até Ficksburg no Sul da África. É um prático ponto de cruzamento desde o Sul da África e, existem boas conexões de transporte.

MAPUTSOE


MOHALE'S HOEK

Mohale's Hoek é um lugar mais belo, que o próximo Mafeteng. Desde alguns hotéis organizam-se excursões de trekking.

MORIJA

Este pequeno povo ao sul de Maseru, na estrada principal do sul, tem um interessante museu, o Museu e Arquivo de Morija. O museu abre de segunda-feira a sábado das 8.30 à 16.30 horas, e aos domingos de 14 às 16.30 horas.

QUTHING

Costuma ser conhecido também como Mojeni. Sobre a colina observa-se o íngreme Canhão do Orange River, na parte alta de Quthing, onde há um hotel, uma missão e diversas estruturas da era colonial. A uns 5 quilometros ao oeste de Quthing encontra-se a Casa Caverna Masitise, construida no interior de uma rocha.

OACHA'S NEK

Se o tempo permitir pode-se chegar de ônibus desde Maseru, mas há de transbordar em Quthing. Há ônibus que realizam o trajeto desde Oacha's Nek à Sehlabathebe, oferecendo esta viagem fabulosa paisagem.

ROMA

É uma cidade universitária e um bom lugar para encontros estudantis. Ao norte de Roma localizam-se as mais importantes pinturas rupestres: Ha Baraona San. Para chegar ali pode-se pegar mini-ônibus ou táxi desde Maseru e descer 1.5 quilometros antes de Nazareth; um sinal indica o caminho para as pinturas.
Também há caminhadas e saídas a cavalo na área que rodea a cidade, incluindo um passeio de 20 minutos para ver as Pegadas de Dinossauros.

SONI PASS

Esta íngreme passagem é a única estrada segura em Lesoto desde Natal Drakaensberg. Por o lado sul africano as cidades mais próximas são Underberg e Himeville. Há caminhadas diárias, entre elas a árdua e longa à Thabana-Ntenyana, o mais alto pico no sul da África, com 3.482 m. Existe um caminho, mas acompanhado de um guia chegará de um modo mais simples; esta travessia também pode ser realizada a cavalo.
No inverno costuma ter bastante neve, o que permite a prática do esqui; pode-se alugar o equipamento na estação. Também se organizam excursões de trekking.

PARQUE NACIONAL DE SEHLABATHEBE

É o primeiro Parque Nacional de Lesoto, antigo e escabroso, sendo isto sua principal atração. Há poucos animais, embora é possível ver corços e babuinos. Além disso, por um preço mínimo o parque também oferece a possibilidade de montar a cavalo. É uma zona de chuvas veranengas e os invernos são claros, embora frios e em ocasiões de neve.

SEMONKONG

A meia hora encontram-se as Cascatas de Maletsunyane, também conhecidas como cascatas Lebihon; as cascatas têm 200 m de altitude e são melhores no verão.

TEYA-TEYANENG

É habitualmente conhecido por Ty. Destacam importantes lugares para visitar. Alguns dos melhores artesanato são vendidos na Missão St. Agnes, dois quilometros antes de Ty na estrada de Maseru.

THABA-TSEKA

Esta antiga cidade foi construida em 1980 como um projecto de ajuda canadense. É um dos limites na cara oeste do Central Rouge, acima do, por vezes, difícil Mokhoabong Pass. Os ônibus circulam entre Maseru e Thaba-Tseka.


Um comentário: