sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Guiné Equatorial (Malabo)

Guiné Equatorial (Malabo)


Guiné Equatorial é um dos paraísos da zona ocidental da África. Está cheia de mistérios da natureza e da humanidade. Ali coexistem grandes extensões florestais banhadas por caudalosos rios, que desembocam no mar, passando por montanhas, elevações, precipitações e cascatas de água. A riqueza da fauna e flora selvagens, unida aos tradicionais costumes de povoações tribais, denota ao território uma magia indescritível. Um conjunto de milagres naturais, que encontra-se quase como oásis, os avanços das zonas urbanas, cheias das histórias de crenças místicas e dominações coloniais.
 
Guiné Equatorial (Malabo)

Guiné Equatorial (Malabo)
 
Guiné Equatorial (Malabo)

LOCAIS TURÍSTICOS


A ILHA BIOKO E SUA CAPITAL

Conhecida como a "formosa" Bioco, esta ilha acolhe em suas terras à cadeia vulcânica que nasce no Monte Camerúm e chega até Annobão. Seu solo é escarpado e cheio de caldeiras, lagos e vulcões inativos. A vegetação do território é tão extensa que chega até a beira do mar, constituindo um dos mais formosos lugares do Golfo de Guiné. A cidade de Malabo, capital do país, está lotada de formosos edifícios coloniais da época inglesa, quando chamava-se Port Clarence e dos tempos de domínio espanhol, quando era Santa Isabel. Aqui existe a única igreja de todo o continente africano de imitação neo gótica na Praça da Independência, em cujos bancos se reproduzem atividades cotidianas da época em barro.

Não muito longe encontra-se o Centro Cultural Hispânico Guineano, onde realizam-se as principais atividades artísticas do país. Mais adiante encontra-se o Centro Cultural Francês que também é uma casa dedicada a atividades culturais.

Os bairros da periféria da cidade são atrativos pela vida noturna. Bairros Os Anjos e Ela Ngema são uma clara mostra da alegria dos lugarenhos. A Rua de Niegria é a mais ativa quanto a bares, restaurantes e discotecas.

ARREDORES DE BIOKO

Poderá encontrar maravilhosas praias de areia branca à 6 quilometros da cidade. As estações também estão acondicionadas para realizar excursões desde a costa à selva interior. Há também zonas de acampamento para o qual deve registrar-se na polícia. A segunda cidade na ilha de Luba, a uma hora de Bioko de táxi, não conta com especiais atrativos, mas tem alguns desertos singulares e praias virgens nos arredores. Uma vista impressionante se observa desde o Moca.

AS SELVAS DA REGIÃO OCIDENTAL

Rio Muni é a região continental de Guiné Equatorial que extende-se até as fronteiras com Camerúm e Gabão. É uma terra de formosas praias e selvas exuberantes. No interior encontram-se uma das extensões florestais menos exploradas do continente africano consideradas importantes para a investigação zoológica e botânica.

Já em terra firme encontra-se a cidade de Bata, de ruas amplas e retas. É destacável a orografia que permite às construções chegarem até a linha do mar. Junto à Praça do Relógio, no centro da cidade, acha-se um mercado central, que extende-se até o bairro de Comandachina, um dos mais concorridos da cidade. As costas de Bata oferecem grandes extensões de praia virgem adornadas de belos palmerais. Desde Bata pode-se realizar excursões à selva.

O PARQUE NATURAL DE MONTE ALEN

Situado na parte norte da cadeia montanhosa de Niefang. O conjunto da paisagem está conformado por uma série de serras que se elevam até as rochas cristalinas ao leste da bacia do Rio Uolo. Nessa zona encontram-se grandes concentrações de flora e fauna selvagem. Um formoso espetáculo natural.

A ZONA DOS MONTES MITRA

É um área limitada pelo Rio Cogue e o Rio Mitong. Em seus arredores pode-se observar os montes de Atom, Mabumu-Won, Mintong, Mitong, Mitono, Mitra e Mianye. Dentro da zona existem ainda grandes concentrações de fauna e está comprovada a existência do gorila da costa e o chimpanzé, assim como, diversas espécies de primatas, mamíferos, aves e répteis.

A ZONA DO RIO NTEM

Esta região inclui o estuário do Rio Ntem (o campo) e seu leito, desde a desembocadura no mar pelo oeste, até a confluência como o Rio Mbuva pelo leste. O lugar está situado dentro da chamada Penillanura de Ntem. As zonas de mangues e pastos costeiros são ricas em fauna marinha, palustre e selvática. Aqui quase não existem assentamentos humanos, pois a densidade da população é muito baixa.

NSOC-AURENAM

É a parte oriental do sistema central que nasce em Gabão. Ali elevam-se os pontos mais altos dos montes Nsoc, Serra Mbula, monte Yagam e monte Nsama, que rodeam a população de Nsoc. Sua grande riqueza biológica representa um grande potencial científico. O maciço florestal de Nsoc joga importante papel no controle dos afluentes dos rios e é um regulador do clima da região.

GASTRONOMIA

Na gastronomia de Guiné Equatorial pode-se encontrar pratos tanto de cozinha européia como de comida tradicional. Entre os pratos típicos da zona está o Pepesup, uma sopa de peixe muito picante e o frango com chocolate, a ave guisada no molho de uma semente de gosto particular. Come-se com regularidade animais como o pangolím, o porco-espinho, o tucano, o veado e animais da selva em geral. Também se consome peixe, marisco e diversas frutas tropicais.

BEBIDAS

O topé ou vinho de palma é bebida cotidiana e consumida em todas as festas.

COMPRAS

Pode-se adquirir uma grande variedade de artesanato com talhas de madeiras nobres como caoba, ébano, palisandro, etc. Também fabricam-se colares, pulseiras e armas de metal, malaquite ou conchas marinhas. As pinturas e gravados representativos da cultura tradicional são mostras destacáveis do talento nativo e pode-se comprar facilmente. As máscaras de diversas qualidades e materiais são, provavelmente, o objeto mais cotado pelos turistas.

POPULAÇÃO E COSTUMES

A população de Guiné Equatorial é de 443.000 habitantes e está composta por três grandes etnias localizadas em áreas concretas do país. Os fang constituem 80% da população e, obviamente, são a tribo maioritária. Eles extendem-se por toda a região continental fazem séculos, mas na atual idade também conta com um importante número de membros na ilha de Bioco, zona onde residem os componentes da segunda etnia em extensão, os bubis. Em terceiro lugar está a etnia ndowe, que habita maioritariamente na zona costeira do continente e as ilhas do estuário. Outros grupos estão constituidos pelas etnias kombe, balengue, bujeba, bapuku, baseke, buico e bayele.

Os costumes estão estreitamente relacionados com o grupo tribal, que pertecem os povoadores. Os fang realizam cultivos do tipo nômade e praticam a caça mediante armadilhas para animais pequenos e com armas para animais de maior envergadura. A pesca fluvial é realizada pelas mulheres.

Os bubis criam animais domésticos para sua alimentação. Nas povoações não pode entrar ninguém que não pertença à família. Cada povoado tem vinte ou trinta agrupações. Há moradas destinadas a receber visitas e caracterizam-se por ter um grande número de portas, outras estão destinadas a ser cozinhas, currais, etc. O caminho de acesso está enquadrado por arcos rudimentares, no centro da praça acha-se a "casa da palavra" ("wetcha" em bubi). Os ndowe são os que têm mais influência européia. Sua principal atividade é a pesca e são muito bons navegantes. Constroem suas embarcações ou "caiucos" esvaziando o interior de um pau grosso, para ir dando forma pouco a pouco a um casco, para ser impulsionado com remos de madeira ou uma vela.

ENTRETENIMENTO E FESTIVIDADES

Existem muitos bares onde não faltam bebidas com o "pica-pica" (acompanhamento de comida servido com a bebida). Também há discotecas de diversos estilos que completam a vida noturna da Guiné Equatorial. Desde os primeiros dias de agosto e durante seis meses aproximadamente, celebra-se na cidade de Bra a "ferial", consistente na construção de mais de cem "casetas" (bares tradicionais) adosados. Concorrem entre si quanto à música e o serviço que oferecem. Em Malabo a ferial instala-se de 12 de outubro à 6 de janeiro.

 
FESTIVIDADES

A Festa do Inhame é celebrada pelos bubis com verdadeira veneração e é a mais importante de suas festividades. O inhame é o tubérculo que constitui a base alimentar do grupo e guarda um significado religioso anscestral. Sua planta e colheita dava lugar a cerimônias multitudinárias.

Os feriados são: Ano Novo, Sexta-Feira da Paixão, Dia do Trabalho, Corpus Christi e Natal. Outras datas de celebrações locais são 5 de junho, 3 de agosto, 15 de agosto, 12 de outubro, 1 de novembro e 8 de dezembro.

TRANSPORTES

Avião

Três companhias de aviação trabalham no país: Ecuato Guineána de Aviação, Linhas Equato-guineánas de Aviação e Aviação de Guiné Equatorial. Os vôos ligam normalmente com as cidades de Malabo e Bata. Também realizam-se vôos regulares a Douala (Camerúm) e Livreville (Gabão).

Barco

Existe uma linha marítima, COMAGE, que une as cidades de Malabo e Bata com as ilhas Corisco e Annobão. No barco pode-se viajar em camarote individual ou compartido. Isto afeta o preço da passagem.

Transporte Público

Existem táxis e combis para deslocar-se dentro das cidades ou entre elas. Os veículos podem ser compartidos ou alugados para uso privado por horas ou dias. As tarifas incluem a pagamento do motorista, sua manutenção e o combustível. Também pode-se alugar os carros sem motorista.


INTERESSADOS EM PACOTES TURÍSTICOS PARA QUALQUER LUGAR NOS PROCURE. TRABALHAMOS COM AS MELHORES OPERADORAS TURÍSTICAS, CVC, PNX, AGAXTUR, INTRAVEL. CONFIRA OU ENTRE EM CONTATO. VEJA OS NOSSOS PACOTES!


Dalma Borges
(61) 91613691
blog:  dalmablogviagens.blogspot.com

Um comentário:

  1. Amandio
    olá gostei do seu Blogue...
    sou Caboverdiano e é do guiné equatorial que quero saber mais, pq vou pra la este més obribado!!! ...
    amandiopatrom.blogspot.com

    ResponderExcluir