quinta-feira, 26 de julho de 2012

HOSPEDAGEM NO GRANDE HOTEL TERMAS E CONVENTION ARAXÁ - MG

História: Grande hotel Termas de Araxá-MG
Inicio das construções em 1938
Inauguração: 1944 com a presença do então presidente Getúlio Vargas e governador do estado de Minas Gerais Benedito Valadares.
Projeto arquitetônico do complexo: Luiz Aignorelli
Projeto Paisagístico e jardins: Roberto Burle Marx (pintor e paisagista)
Estilo Arquitetônico externo do Complexo: Estilo missões espanholas - mesmo estilo Colômbia e Venezuela. Dá um aspecto de que as paredes são revestidas com barro avermelhado, simbolizando simplicidade.
Estilo arquitetônico interno: Grande uso do neo-clássico, com exemplo de colunas, capitéis e arcos, seja em estilo dórico, jônico ou coríntio.


ÁREA EXTERNA:

O complexo foi construído dentro de uma área verde de 400.000m2, de fronte a um lago de água radioativa comum total de 1 milhão de metros cúbicos, em formato de coração.
A água radioativa jorra da Fonte Dona Beja, Local aonde a mitológica dama vinha fazer seus banhos ao ar livre. Do emanatório, a água é captada e conduzida às Duchas Cascata, possibilitando um banho de ducha revigorante.
Por nascer em uma mina de radônio, suas águas são chamadas de radioativas, cuja atividade atômica persiste por 4 dias após retirada da fonte. Suas águas são utilizadas nos banhos termais por proporcionarem um trabalho de ativação  intra-molecular.
Outra fonte encontrada dentro do parque é a Fonte de água sulfurosa Andrade Júnior. Também canalizada para utilização dos banhos termais, possibilita um trabalho extracorpóreo, ou seja, diretamente com a pele.
É facilmente detectada como sulfurosa por causa de seu odor forte, em virtude do enxofre.
É feito uso oral da água em pequenas doses pela manhã em jejum para limpeza e regulagem do intestino.
Junto à  fonte podem ser vistos fósseis de animais pré-históricos de milhares de aos. Os mesmos foram encontrados na área desta fonte, remontava a alimentação dos mamíferos antigos e atuais, já que o gado de fazendas vizinhas vinha naturalmente beber a água antes da construção do Grande Hotel.
O lago anexo é a forma natural da decantação da lama para banho. Ali ela se mistura com a água sulfurosa e descansa. Antes da construção do complexo, a área era chamada de Barreiro exatamente em razão desta água e lama estarem a céu aberto formando um grande pântano, possibilitando banhos públicos.
Próximo a uma das entradas do parque fica a Praça de Esportes. Nela podemos encontrar 5 quadras de tênis, quadra poliesportiva, vôlei de areia, peteca e uma piscina com 25 metros de comprimento (semi-olímpica) abastecida com água também radioativa. Ao lado desta se encontram outras duas menores para crianças.



Enfrente ao quiosque da Praça de Esportes pode-se encontrar outras atividades extras: Passeios de charrete, à cavalos, bicicletas e pedalinhos. 
Para quem gosta de caminhas, ao redor do lago pode-se encontrar diversas trilhas, uma delas podendo levá-los às Ruínas do Hotel Rádio e outros Mirantes. 


ÁREA INTERNA

O Grande Hotel foi construído em um período chamado nacionalista, encabeçado por então presidente Getúlio Vargas. Assim como outros presidentes de mesmo punho e tipo de pensamento - Hitler, Mussolini - tratou de cria obras grandiosas para mostrar ao mundo o valor e o conhecimento que o Brasil tem. 
Construindo coisas tão belas quanto outros países faziam. 
São 33.300 metros quadrados em área construída no Grande Hotel e 16.300 metros quadrados de áerea nas Termas. 
Sendo assim, pedrarias, cristaleria e vidraria eram detalhes suntuosos que vieram a dar mais valor ao complexo. 
Poderá ser notado que um ambiente é distinto de outro em razão de seus detalhes, sejam eles pelas cores, tipos de madeira, colunas, gravuras e iluminação.  Mas nunca esquecendo do equilíbrio e simetria. 
Simetria tamanha que a colocação do Grande Hotel em relação ao sol faz com que este seja uma enorme bússola, indicando o Leste e Oeste, Norte e Sul. 




quarta-feira, 21 de março de 2012

Amapá - Macapá

Amapá



O Amapá é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado a nordeste da região Norte e tem como limites a Guiana Francesa a norte, o Oceano Atlântico a leste, o Pará a sul e oeste e o Suriname a noroeste. Ocupa uma área de 142.814,585 km². A capital é Macapá. As cidades mais populosas são Macapá e Santana, Laranjal do Jarí e Oiapoque.




O relevo é pouco acidentado, em geral abaixo dos 300 metros de altitude. A planície litorânea se caracteriza pela presença de mangues e lagoas. Amazonas, Jari, Rio Oiapoque, Araguari, Calçoene e Maracá são os rios principais. Veja a lista de rios do Amapá. Atualmente, está sendo construida sobre o Rio Oiapoque a ponte binascional, entre o estado do Amapá e a Guiana Francesa, a obra está locazada a 5 km da cidade de Oiapoque. Em 23/08 de 2009, a obra foi notificada pelo Ibama, devido a desoberta de um sítio arqueológico próximo à obra. Em 26/08 do mesmo ano, a obra foi retomada.

Pontos Turisticos
 
Cachoeira de Santo Antônio, Laranjal do Jari, AP
 
Cachoeira de Santo Antônio, Laranjal do Jari, AP


Seu clímax ocorre com uma precipitação de 2000mm/ano - quando a Cachoeira atinge o maior volume d`água. Formada por processos vulcânicos ocorridos há milhões de anos atrás, com quedas d`água a despencar de uma altura de trinta metros, a Cachoeira de Santo Antônio é uma das mais belas paisagens naturais do Amapá.
 
Cachoeira Grande
 
 
Cachoeira Grande

Localizada na Região Centro Leste do Estado, entre os Municípios de Amapá e Calçoene, à 302 km de Macapá, o acesso e feito pela BR 156, sendo excelente para o banho. A cachoeira é formada de corredeiras sobre formações rochosas que culminam com uma precipitação de médio porte em forma de cascata.

Pororoca

Pororoca

Pororoca (do tupi "poro'roka", de "poro'rog", estrondar) é um fenômeno natural produzido pelo encontro das correntes fluviais com as águas oceânicas.

Pororoca: Elevação repentina de grandes massas de água junto a foz de grandes rios como o Amazonas;provocadas pelo encontro de marés ou de correntes contrárias. Atinge a altura de 3 a 6m.
É melhor percebido quando da mudança das fases da Lua, ou seja, desde dois dias antes até três dias após, particularmente nos equinócios em cada hemisfério, e com maior intensidade quando das ocorrências de maré viva (sizígia), nas Lua Cheia e Nova.
O fenômeno das marés, ao elevar o nível das águas oceânicas, faz com que as mesmas invadam a desembocadoura dos rios, podendo formar ondas de até dezenas de metros de largura, pode chegar a medir de três a seis metros de altura, e velocidades de até trinta a cinqüenta quilômetros por hora (10 a 15 milhas por hora). Esta poderosa onda pode durar de quinze á trinta minutos.
O fenômeno manifesta-se, no Brasil, na foz do rio Amazonas e afluentes do litoral paraense e amapaense (rio Araguari, rio Maiacaré, rio Guamá, rio Capim, rio Moju), e na foz do rio Mearim, no Maranhão. Esse choque das águas derruba árvores de grande porte e modifica o leito dos rios.
Outros rios no mundo apresentam, em diferentes escalas, o mesmo fenômeno, com outras designações:
na França, na foz dos rios Gironda, Charante, Sena, é conhecido como mascaret e barre;
na Inglaterra, na foz dos Tâmisa, Severn, Trent e no Hughly, com o nome de bore
em Bangladesh, na foz do rio Megma, no delta do Bramaputra, como macaréu;
na China, na foz do Iang-tsé, denominado em chinês como trovão e pelos britânicos de cager.
na foz de rios em Bornéu e Sumatra, no Extremo Oriente;
nos Estados Unidos da América, na foz dos rios Colúmbia e Colorado.
Recentemente, no Brasil, o fenômeno tem atraído praticantes do surfe, transformando-se numa atração turística regional amazônica.


Fortaleza de São José de Macapá


Fortaleza de São José de Macapá


Encontramos por toda a Costa litorânea do Brasil e por todas as fronteiras terrestres, velhas fortificações, edificadas no período colonial.

Iremos sentir que essa Fortaleza é o símbolo de uma época remota, com as quais garantimos a existência desde o começo.
A Fortaleza de São José de Macapá, foi arquitetada no mesmo local da Fortaleza de
Santo Antônio de Macapá. Foi idealizada devido a necessidade de afastar flibusteiros ingleses e holandeses, assegurando ainda a conquista definitiva do Rio Amazonas.
Assim o fizeram os governadores do Grão-Pará, João de Abreu Castelo Branco,
em 5 de outubro de 1738, Francisco Pedro de Mendonça Gurjão, em 8 de março
de 1749 e Francisco Xavier de Mendonça Furtado, em 1º de novembro de 1752, quando resolveu D. José I, Rei de Portugal e Brasil, aprovar o plano de organização da Companhia do Grão-Pará, idealizada em 4 de novembro de 1758 e a construção de uma poderosa fortificação.
Foi em 1764 que se tratou de levantar a planta da Fortaleza de São José de Macapá e dar princípio à construção. Em janeiro desse ano o Governador e Capitão-General Fernando da Costa de Athayde Teive foi à Vila de São José de Macapá, e, em companhia do Engenheiro Henrique Gallúcio e outros profissionais, astrônomos João Brunélli e Miguel Antônio Cícero, e os engenheiros Gaspar João Geraldo de Gronfelts, Domingos Sambucete e Antônio Laude, examinaram o terreno e aprovaram o plano da Fortaleza.
Ainda no mesmo ano, em 29 de junho, dia de São Pedro, lançou-se a primeira pedra no ângulo do baluarte sob a invocação deste santo, com o cerimonial do estilo, achando-se presente o Governador Athayde , o Coronel Nuno da Cunha de Athayde Verona, comandante militar da praça, o engenheiro Gallúcio, o Senado
da Câmara e todas as autoridades civis, militares e religiosas da vila.
Considerado o mais belo, o mais imponente e o mais sólido monumento militar do Brasil no período colonial, a planta era do engenheiro Henrique Antônio Gallúcio, estilo Vauban, de oitava classe, em quadrado e seus baluartes pentagonais nos vértices. A estes baluartes deu o governador os nomes de Madre de Deus, São Pedro, Nossa Senhora da Conceição e São José. Em julho de 1766, achavam-se concluídos os baluartes de São Pedro, Nossa Senhora da Conceição e o terceiro em vias de conclusão.
Os engenheiros e técnicos que a construíram, enfrentaram grandes dificuldades na movimentação do terreno, na condução dos blocos de pedras, na edificação do monumento propriamente dita. Trabalharam durante dezoito anos até darem por concluída a empreitada gigantesca que iniciaram.
A Fortaleza de São José de Macapá é Patrimônio Histórico, tombado pelo
Instituto Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), sob o processo
nº 432/T/50, inscrição nº 269 no livro do Tombo Histórico em 22 de março de 1950.
Em 1997, o Governo do Estado do Amapá iniciou o processo de restauração da Fortaleza de São José de Macapá, estando atualmente em fase conclusiva das obras interiores.
A implantação de atividades educativas, científicas e de lazer nas dependências desta Fortificação são atividades necessárias para preservá-la e valorizá-la. Neste sentido, o uso público é o dado balizador para apropriação da herança patrimonial da humanidade.

Marco Zero do Equador, Macapá, AP


Marco Zero do Equador, Macapá, AP

Construção do monumento, com o relógio do sol, para marcar o local onde a linha imaginária do Equador divide a Terra em dois hemisférios (Norte e Sul). O Monumento Marco Zero também possui no seu terraço um espaço para shows, além de salão para exposições, bar e lanchonete e lojas para venda de produtos locais.

É praticamente o mais conhecido ponto turístico de Macapá.


Museu Sacaca


Museu sacaca


Através de palestras, exposições e seminários, o Museu transmite à comunidade, os trabalhos desenvolvidos pelo Governo do Estado, através do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá - IEPA. É uma alternativa de multiplicação de informações sobre os avanços tecnológicos, possíveis de aplicação na busca da melhoria de qualidade de vida.

Centro de Pesquisas Museológicas - CPM
O CPM Museu Sacaca atua promovendo ações museológicas de pesquisa, preservação e comunicação, interagindo o saber científico e o saber popular dos povos amazônicos. Divulga as pesquisas realizadas pelo IEPA, através das exposições e oficinas pedagógicas.
Endereço para visita:
Av. Feliciano Coelho, 1509 - Bairro do Trem
Telefone: (96) 3212 5342
Horário de visitação:
Segunda à Sexta - manhã: de 07:30 às11:30h, tarde14:30 às 17:00 h
Sábado - tarde: de 15:00 às 18:00h.


Oiapoque

Oiapoque

Oiapoque é um município do estado do Amapá, no norte do Brasil. Sua área é de 22.625 km²; a população, segundo o IBGE, era de 20.962 habitantes em agosto de 2009 ; a densidade demográfica era então de 0,71 hab/km²

Pedra do Guindaste






Localizada em frente a cidade de Macapá ao lado do Trapiche Eliezer Levy, cerca de 300 metros da margem do Rio Amazonas. A pedra original foi derrubada pela colisão de um barco, em seu lugar foi construído um bloco de concreto e sobre ele uma imagem de São José - Padroeiro da Cidade de Macapá. Existem muitas lendas em torno da Pedra do "Guindaste", que ao longo dos tempos vem servindo de inspiração a muitos artistas regionais. Podendo ser observada do Trapiche Eliézer Levy.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Verão o ano inteiro!! Ilhéus - Bahia



É a cidade com o mais extenso litoral entre os municípios baianos. É considerada capital do cacau, capital da Costa do Cacau e a "Princesinha do Sul". Sua economia baseia-se na agricultura, turismo e indústrias. Já foi o primeiro produtor de cacau do mundo mas depois da enfermidade conhecida como vassoura-de-bruxa que infestou as plantações, reduziu muito a sua produção. Ilhéus foi fundado em 1534 e elevado a cidade em 1881. É conhecido mundialmente por ambientar os romances de Jorge Amado, famoso escritor baiano, como Gabriela, Cravo e Canela. Conhecida também como "IOS", sigla que respeita a grafia antiga do nome da cidade, São Jorge dos Ilhéos, que é utilizada nos bilhetes de transporte aéreo. Capital do turismo na Costa do Cacau, e considerada por muitos, terceiro maior ponto turístico da Bahia, Ilhéus é cheia de pontos turísticos, dentre eles, patrimônios religiosos, instituições culturais, bairros e povoados, que juntos às suas belíssimas praias, formam um espetáculo.


A cidade histórica de Ilhéus, já foi cenário de diversas obras de Jorge Amado, assim como o famoso romance “Gabriela, cravo e canela”, que é motivo de orgulho de seus moradores.

Rosana Souza  Rosana Souza
Colaboradora do blog


Praia, calor, lazer, diversão,tranquilidade....




Porto de Galinhas é uma praia localizada na Região Nordeste, localizada no município de Ipojuca, no estado de Pernambuco. Sua fama está ligada principalmente, às belezas naturais: piscinas de águas claras e mornas formadas entre corais, estuários e mangues, areia branca e coqueirais. 



Rosana Souza
Rosana Souza
Colaboradora do blog.



Inicialmente, a praia era chamada de Porto Rico, devido à sua abundância em pau-brasil. No auge da escravidão no Brasil, era o principal ponto de comércio de escravos ilegais no nordeste brasileiro. Muitas vezes, os mesmos chegavam escondidos embaixo de engradados de galinhas d ángola. .A chegada dos escravos ilegais ao porto costumava ser anunciada pela frase tem galinha nova no porto! Desta forma, a praia de Porto Rico ficou conhecida como Porto de Galinhas.Toda a região é muito frequentada por turistas, que admiram sua beleza, bem como surfistas de diversas nacionalidades.
Porto de Galinhas possui uma extensa rede de hotéis de referência internacional e resorts que se equiparam aos melhores do mundo com acomodações tão próximas das praias que, muitas vezes, é possível dormir ao som das ondas do mar. A gastronomia é mais do que diversificada: variando dos frutos do mar à massa italiana ou aos pratos preparados com molhos de frutas e raízes da região. natural da região. 

domingo, 17 de janeiro de 2010

Rio de Janeiro

Angra dos Reis- Rio de Janeiro

Angra dos Reis é um município brasileiro situado na microrregião da Costa Verde, Sul Fluminense no estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a uma altitude de 6 metros e possui em seu litoral 365 ilhas. Foi descoberta em 6 de janeiro de 1502, mas colonizada apenas a partir de 1556. Sua população aferida em 2008 era de 164.191 habitantes.
Possui uma área de 816,3 km². Os municípios limítrofes são Paraty, Rio Claro e Mangaratiba no território fluminense, e Bananal e São José do Barreiro no lado paulista.
Após 1872 entra em decadência com a inauguração das estradas de ferro, voltando a ocupar posição de destaque na terceira década do século XX quando um ramal ferroviário liga-o aos estados de Minas Gerais e Goiás, por ele escoando a produção agrícola dos mesmos. O ramal ferroviário, em bitola métrica, ainda existe, sendo operado atualmente pela Ferrovia Centro-Atlântica.

 Angra dos Reis 


Em meados do século XX torna-se crucial na implantação da Companhia Siderúrgica Nacional - CSN, em Volta Redonda, sendo o porto por onde a mesma era abastecida de carvão de coque proveniente de Santa Catarina. Atualmente esta empresa também utiliza o porto para fazer parte das suas exportações de aço.
Sua importância atual se dá pelo fato de ter como instalação subordinada o Terminal Marítimo da Baía da Ilha Grande - TEBIG da Petrobras, que movimenta grandes quantidades de petróleo e posiciona o porto de Angra como um dos mais movimentados do país.

Angra dos Reis
  
Hoje em dia, devido a beleza de suas praias e das regiões próximas, Angra virou ponto forte do turismo não só estadual, mas também nacional. Possui mais de três centenas de ilhas, muitas delas tendo por donos celebridades nacionais e internacionais, sendo a maior de todas denominada de Ilha Grande.
A maior parte da cidade é cercada por morros, o que contribuiu para no início de 2010 várias residências e pousadas sofrerem com os efeitos de deslizamentos, principalmente em Ilha Grande.

Angra dos Reis


Araruama - Rio de Janeiro

Araruama é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a 22º52'22" de latitude sul e 42º20'35" de longitude oeste, a uma altitude de 15 metros. A população estimada em 2008 pelo IBGE foi de 109.705 habitantes.
Estende-se por uma área de 635,4 km², marcados por planícies e alguns lagos, entre os quais a Lagoa de Araruama e a Lagoa de Juturnaíba – esta situada entre os municípios de Araruama e Silva Jardim, a uma distância de 12,5 km do centro da localidade de São Vicente de Paulo.


Araruama

História 

O município de Araruama foi ocupado de forma intensa pelos índios Tupinambás, populações horticultoras e ceramistas de origem amazônica, que deixaram marcante presença de suas aldeias desde tempos pré-coloniais. Urnas funerárias, tigelas pintadas, além de uma grande variedade de formas cerâmicas utilitárias são exemplos do que pode ser encontrado nos diferentes sítios arqueológicos da região. As aldeias já pesquisadas, Morro Grande, em particular, com data de 2.200 anos, estão entre as mais antigas ocupações desse grupo Tupi em território nacional.

Araruama

O local que atualmente corresponde ao município de Araruama integrava a capitania de São Vicente, doada a Martim Afonso de Sousa, ainda no Brasil Colônia (1534), mas as primeiras notícias sobre a ocupação do território foram dadas em 1575 através da expedição do governador do Rio de Janeiro, Antônio Salema, que ia para Cabo Frio e dizimou centenas de franceses e indígenas.
Os registros sobre o território de Araruama datam de 1615, em conseqüência da fundação da atual cidade de Cabo Frio, a qual veio promover o reconhecimento do rio São João e da lagoa de Araruama.

Araruama
 
Em 1626, as terras de Araruama integravam as sesmarias doadas a Manuel Riscado que implantou uma serraria utilizando o pau-brasil e outras madeiras de lei.
Através do edital de 10 de janeiro de 1799, foi criada a freguesia de São Sebastião de Araruama, que pertenceu ao município de Cabo Frio até 1852, quando por Lei Provincial nº 628, passou a integrar o município de Saquarema.

Araruama


Em 6 de fevereiro de 1859, a freguesia de São Sebastião de Araruama foi elevada à categoria de Vila de Araruama devido à extinção da Vila de Saquarema.
A elevação de Araruama à categoria de cidade verificou-se em 22 de janeiro de 1890 através de decreto do governador Francisco Portela.
O hino da cidade de Araruama foi incorporado à história da cidade em 1999 pelo compositor Pedro Paulo Pessoa Pinto.

Araruama

Armação dos Buzios- Rio de Janeiro

Armação dos Búzios ou apenas Búzios, como é mundialmente conhecido, é um município do estado do Rio de Janeiro localizado na Região dos Lagos. Faz divisa a oeste com Cabo Frio, município do qual tornou-se autônomo em 1995. Localiza-se a cerca de 165 quilômetros da capital do estado.
É uma península com oito quilômetros de extensão e 23 praias, recebendo de um lado correntes marítimas do Equador e do outro correntes marítimas do pólo sul, o que faz com que tenha praias tanto de águas mornas quanto de águas geladas. Entre as principais praias, destacam-se Geribá, João Fernandes, Ferradura, Ferradurinha, Armação, Manguinhos, Tartaruga, Ossos, Tucuns, Brava e Olho-de-Boi, esta última reservada para a prática do nudismo.

Armação dos Búzios
  
A exploração turística e a ocupação imobiliária do local tiveram início após a fama internacional dada a Búzios pela atriz francesa Brigitte Bardot, que a visitou em 1964. Hoje, a cidade é tão visitada por turistas do mundo inteiro (principalmente argentinos) que alguns a chamam de 'a Saint-Tropez brasileira'.
Armação dos Búzios, com seus ventos fortes, é ideal para a prática de iatismo, e vôo livre. É uma cidade que abriga diversas culturas com um grande número de estrangeiros. A temperatura média anual é de 24 °C e tem o índice pluviométrico mais baixo do estado de Rio de Janeiro, cerca de 750mm anuais apenas.

Armação dos Búzios


Barra Mansa - Rio de Janeiro


Barra Mansa é um município brasileiro situado no sul do estado do Rio de Janeiro, na microrregião do Vale do Paraíba dentro da mesorregião do Sul Fluminense. Localiza-se a uma latitude 22º32'39" sul e a uma longitude 44º10'17" oeste, estando a uma altitude de 381 metros. Sua população estimada em 2008 era de 176.469 habitantes, formando uma conurbação com as cidades de Volta Redonda e Pinheiral com uma população de mais de 450 mil habitantes. Possui uma área de 548,9 km².
Seu centro administrativo e legislativo é o bairro Centro já que nele estão localizados a prefeitura e a câmara municipal e seu centro judiciário é o bairro Barbará pois nele está situado o fórum municipal.
Em 1954 Volta Redonda emancipou-se e em 1991 foi a vez de Quatis, levando consigo os distritos de Ribeirão de São Joaquim e Falcão. Em 1993 Antônio Rocha foi elevado a condição de distrito assim como o bairro Santa Rita de Cássia, no ano de 2006.


Barra Mansa


A população de Barra Mansa, é composta por descendentes de imigrantes europeus (principalmente portugueses, italianos, e espanhóis), mas também de franceses e alemães, além de uma dinâmica colônia sírio-libanesa, assim como também de ameríndios e de escravos africanos.
Com toda essa riqueza racial, o município continua sendo uma das maiores cidades do Sul Fluminense, ficando, em termos de produção econômica, atrás apenas de Volta Redonda e de Resende, como mostra a análise do PIB destas cidades. O município tem a segunda maior população da região, possuindo mais de 528 unidades industriais, um grande entroncamento ferroviário, rodoviário e fluvial, e uma posição privilegiada, estando próximo às duas maiores metrópoles brasileiras: o Rio de Janeiro e São Paulo. O município é próximo também a importantes centros ecônomicos regionais como São José dos Campos, Juiz de Fora e Volta Redonda, e faz divisa com outras cidades importantes, como a própria Volta Redonda e Resende.

Barra Mansa


O município tem um comércio forte e tradicional, principalmente no Centro, Estamparia e Ano Bom. Seus bairros nobres são o Centro, Santa Rosa, Verbo Divino, Ano Bom, Bairro de Fátima e Jardim Boa Vista. Os bairros mais pobres são os da Periferia Leste do Distrito Sede (Barra Mansa).
Seus monumentos principais são a Fazenda da Posse, a sede da prefeitura, o Palácio Barão de Guapi o Jardim das Preguiças e a Ponte dos Arcos. Os quatros principais rios que cortam o município de Barra Mansa são o Paraíba do Sul, o Barra Mansa o Bananal e o Bocaina.


Buzios - Rio de Janeiro

Essa terra dos buzios visitada por nômades, habitada por índios expulsos por colonizadores que fundaram a aldeia e se tornaram pescadores é, hoje, uma cidade que encanta os visitantes pelo seu alto astral, suas 23 praias e, principalmente, pela qualidade de vida
Se Pedro Alvarez Cabral tivesse aportado na "baía formosa" da costa buziana, teria encontrado índios Tupinambás, um subgrupo da nação dos Tamoios, que viviam da caça e pesca e do cultivo do milho e mandioca. Seus ancestrais, povos nômades, nos visitaram há cerca de 2 mil 500 anos, cálculo feito pelo estudo de alguns sambaquis (restos de cozinha e esqueletos) encontrados na região.

Buzios

Nessa terra era encontrado em abundância a espécie Caesalpinia echinatta, o ibirapitanga na língua Tupi, o popular pau-brasil, o alvo preferido das incursões européias, tanto dos portugueses que buscavam a valiosa madeira-de-lei desperdiçada como lenha pelos índios, quanto dos franceses, que vieram também por razões de estratégia geográfica.
A briga colonizadora entre franceses e portugueses dizimou os aguerrridos Tupinambás que de herança deixaram nomes como jerivá ou jeribá (palmeira baba-de-boi que dá um coquinho doce ) e que, muitos anos depois, passou a nominar uma praia e seu bairro, mas com a escrita alterada pelo povo buziano para Geribá. E, ainda, tucum ou tucuns (palmeira de cujas folhas se extraem fibras e, de cujas sementes das nozes saem um rico óleo).

Búzios


Cordeiro - Rio de Janeiro

Cordeiro é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a uma latitude 22º01'43" sul e a uma longitude 42º21'39" oeste, estando a uma altitude de 485 metros. Sua população estimada em 2009 era de 19.902 habitantes. Possui uma área de 116,38 km².

Cordeiro

História

Inicialmente ocupada por índios goytacazes e coroados, a região de Cordeiro constou como rota para os colonos que se aventuravam à procura de ouro e pedras preciosas no interior da colônia, no final do século XVIII. A colonização de Cordeiro teve origem à margem esquerda do Rio Macuco, próximo da fazenda Cordeiro, propriedade do bandeirante Manoel Rosendo Cordeiro, que cedeu parte de suas terras para a trilha de ferro Cantagalo. Em 1883, novos fluxos de colonização, lavradores e artífices chegaram à região, dando origem ao pequeno núcleo. O desenvolvimento da localidade proporcionou a criação, em 1890, do distrito de Cordeiro, subordinado ao município de Cantagalo.

Cordeiro
  
O progresso apresentado pelo distrito motivou a criação do município de Cordeiro, em 1891, sendo a sede municipal elevada à categoria de vila. No entanto, essa autonomia durou pouco tempo, retornando o município de Cordeiro a sua antiga situação de distrito de Cantagalo. Em 1920, Cordeiro já era o mais importante centro comercial da região Centro-Norte Fluminense.
Esse fato determinou a instalação de um parque industrial, que teve início em 1922 com a Fábrica de Tecidos Nossa Senhora da Piedade. Em 1936, Cordeiro foi elevada à categoria de sub-prefeitura, no governo do Almirante Protógenes Guimarães. Data, verdadeiramente, daí, o grande desenvolvimento de Cordeiro, com a execução de inúmeros serviços, dentre os quais se destacam os melhoramentos nos serviços de abastecimento de água, construção de várias linhas de esgoto, pontes, praças públicas, jardins, avenidas e etc.A reintegração na categoria de município somente realizou-se em 1943. Cordeiro era uma área eminentemente agrícola, cultivando, sobretudo café, que aos poucos foi substituído pela pecuária. O município se tornou centro urbano de importância, em nível regional, pois, apesar da implantação das indústrias de cimento ter sido em Cantagalo, a maioria dos trabalhadores reside em Cordeiro.
A ocupação do núcleo urbano se processou em torno da antiga estação ferroviária. A expansão deu-se em direção às áreas planas nas margens do Rio Macuco, ao longo da linha férrea e em direção às principais vias de acesso.

Cabo Frio - Rio de janeiro

Cabo Frio é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a 22º52'46" de latitude sul e 42º01'07" de longitude oeste, a uma altitude de quatro metros acima do nível do mar. É o sétimo município mais antigo do Brasil. É o principal município da Região dos Lagos. Possui 186.004 habitantes, segundo a estimativa realizada pelo IBGE em 2009. É muito conhecido por suas atrações turísticas, como a Praia do Forte, a principal praia e pelas festas.

Cabo Frio

História

A ocupação humana das terras onde viria se estabelecer o município de Cabo Frio teve início há mais ou menos seis mil anos, quando um pequeno bando nômade de famílias chegou em canoas pelo mar e acampou no Morro dos Índios até então pequena ilha rochosa na atual barra da Lagoa de Araruama e ponto litorâneo extremo da margem de restinga do Canal do Itajuru.
Conforme as evidências arqueológicas encontradas nesse "sambaquí", que mais tarde seria abandonado pelo esgotamento de recursos para sobrevivência, o grupo nômade dispunha de tecnologia rudimentar e baseava-se numa economia de coleta, pesca e caça, onde os moluscos representavam quase todo o resultado do esforço para fins de alimentação e adorno. Há mais de 1.500 anos, os guerreiros indígenas tupinambás começaram a conquista do litoral da região.
Os restos arqueológicos das aldeias Tupinambás estudados na região de Cabo Frio (Três Vendas em Araruama e Base Aero Naval em São Pedro da Aldeia) e também nos acampamentos de pesca (Praia Grande no Arraial do Cabo) evidenciam uma adaptação ecológica mais eficaz que a dos bandos nômades pioneiros. O profundo conhecimento biológico da paisagem regional, em particular a Lagoa de Araruama e dos mares costeiros riquíssimos em recursos naturais, fez com que o pescado se tornasse a base alimentar dos tupinambás, reforçada pela captura de crustáceos, gastrópodes e moluscos.
A vegetação de restingas e mangues da orla marítima ofereciam excepcionais possibilidades de coleta de recursos silvestres, o que levou ainda a horticultura de várias espécies botânicas, destacando-se a forte presença da mandioca no cardápio e ao domínio das técnicas de cerâmica. A caça, atividade masculina exclusiva, era muito importante como complemento de proteínas na dieta alimentar dos grupos locais.
Os índios tupinambás batizaram a região de Cabo Frio como Gecay, único tempero da cozinha, feito com sal grosso cristalizado. Nos terrenos onde viria se estabelecer a Município de Cabo Frio, foram encontrados quatro possíveis sítios tupinambás. Os dois primeiros, o Morro dos Índios e a Duna Boavista, apresentavam indícios de serem acampamentos de pesca e coleta de moluscos, enquanto o terceiro, a Fonte do Itajuru, próxima do morro de mesmo nome, era a única forma segura de abastecimento de água potável e corrente disponível na restinga.

Cabo Frio 

 Na referida elevação junto a fonte, o atual Morro da Guia, acha-se o sítio mais importante da região e um dos mais relevantes do Brasil pré-histórico: o santuário da mitologia tupinambá, formado pelo complexo de pedras sagradas do Itajuru ("bocas de pedra" em tupi-guarani). Sobre estes blocos de granito preto e granulação finíssima, com sulcos e pequenas depressões circulares, os índios contavam histórias do seus heróis feiticeiros que ensinavam as artes de viver e amar a vida. Quando estes heróis civilizadores morriam, transformavam-se em estrelas, até que o sol decidisse enviá-los ao itajuru, sob forma de pedras sagradas, para serem veneradas pela humanidade. Caso fossem quebradas ou roubadas, todos os índios desapareciam da face da terra.
Em 1503, a terceira expedição naval portuguesa para reconhecimento do litoral brasileiro, sofreu um naufrágio em Fernando de Noronha e a frota remanescente se dispersou. Dois navios, sob o comando de Américo Vespúcio, seguiram viagem até a Bahia e depois até Cabo Frio. Junto ao porto da barra de Araruama, os expedicionários construíram e guarneceram com 24 "cristãos" uma fortaleza feitoria para explorar o pau-brasil, abundante na margem continental da lagoa.

Cabo Frio
  
Em 1512, este estabelecimento comercial-militar pioneiro, que efetivou a posse portuguesa da "nova terra descoberta" e deu início a conquista no continente americano, e que foi destruído pelos índios tupinambás em função das "muitas desordens e desavenças que entre eles houve" em 1526. Os franceses traficavam pau-brasil e outras mercadorias com os índios, na costa brasileira, desde 1504. Durante as três primeiras décadas do século XVI, praticamente restringiram sua atuação ao litoral da região nordeste.
A partir de 1540, por causa do rigoroso policiamento naval português nestes mares, os franceses exploraram o litoral e levantaram os recursos naturais de Cabo Frio. Em 1556, construíram uma fortaleza-feitoria para exploração de pau-brasil, na mesma ilhota utilizada anteriormente pelos portugueses, junto ao porto da barra de Araruama. A "Maison de Pierre" cabofriense ampliou e consolidou o domínio francês no litoral sudeste, iniciado com o Forte Coligny no Rio de Janeiro, um ano antes.

Ilha Grande - Rio de Janeiro

A ilha Grande é uma ilha do litoral brasileiro ao sul do estado do Rio de Janeiro, próxima à cidade de Angra dos Reis, município do qual é também um distrito.

Ilha Grande

A Ilha Grande é a maior das ilhas do litoral de Angra dos Reis. É uma ilha de 193 km² com relevo acidentado e montanhoso, cujas maiores elevações são o Pico da Pedra D'Água (1031 m) e o Pico do Papagaio (982 m), este último o mais famoso pela sua forma pitoresca. As costas da ilha são recortadas por inúmeras penínsulas e enseadas (sacos), formando várias praias. A vegetação é exuberante, formada por mata atlântica, mangue e restinga.

Ilha Grandre


A principal localidade da ilha é a Vila do Abraão, com 3000 habitantes, que concentra a infraestrutura da ilha com posto de saúde, escola primária, bombeiros, correios e polícia. Um serviço de barcas liga diariamente a Vila do Abraão com Angra dos Reis e Mangaratiba, no continente. A vila conta também com ampla oferta de pousadas, campings, bares, restaurantes e comércio para turistas. Além desta, existem algumas outras pequenas comunidades espalhadas pela ilha também dotadas de infraestrutura turística.
As atividades econômicas giram em torno da pesca e, principalmente, do turismo. A ilha oferece atualmente muitas alternativas turísticas: passeios de barco, praias com águas calmas para mergulho em família, praias destinadas à prática de esportes como o surfe, trilhas ecológicas por dentro da mata ao centro da ilha, além de algumas atrações históricas.
Ilha Grande

A ilha é dividida em dois parques: Parque Estadual da Ilha Grande e Parque Marinho do Aventureiro, e uma Reserva Biológica: Reserva Biológica das Praias do Sul, cujo acesso é somente permitido a pesquisadores e pessoas autorizadas pelo IBAMA. As áreas de proteção ambiental visam garantir a proteção da grande reserva de mata atlântica ainda existente lá e da vida marinha existente no entorno da ilha.


Itaguaí  - Rio de Janeiro

Itaguaí é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro, localizado na Microrregião de Itaguaí pertencente a Mesorregião Metropolitana do Rio de Janeiro a 73 km da capital fluminense.

Itaguaí  

 
Itaperuna  - Rio de Janeiro

Itaperuna é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Está a uma altitude de 108 metros. Sua população atual é 102.781 habitantes, dados do IBGE 2008.Itaperuna está a 72 km do município de Carangola.

 Itaperuna

História

A região de Itaperuna foi desbravada por José de Lannes Dantas Brandão a partir de 1829, após sua deserção da milícia do Exército. Ao chegar nessa região em 1834, se estabeleceu num lugar que foi denominado Porto Alegre. Pelos serviços de colonização prestados à Coroa, com o advento da economia cafeeira foi perdoado, tendo sido morto por seus escravos em 1852.
Em 24 de novembro de 1885 por decreto de nº 2.810, eleva a freguesia de Nossa Senhora da Natividade de Carangola (um dos primeiros nomes da cidade) à categoria de Vila de Itaperuna, levando esse nome por ser passagem para se chegar a Pedra do Elefante, localizada em Carangola, estado de Minas Gerais. Em 1887, foi criada a freguesia de São José do Avaí, nome em homenagem às Armas Brasileiras na Guerra do Paraguai. Foram doados 15 alqueires de terra para patrimônio dessa Vila pelo Sr. Jayme Porto e Senhora.
Em 10 de maio de 1889 foi feita a primeira eleição para a Câmara dos Vereadores, sendo a vitória dos Republicanos, que tomaram posse no dia 4 de julho do mesmo ano, sendo portanto a primeira Câmara republicana do país, em pleno regime monárquico, regime esse que viria a ser desbancado pelo Marechal Deodoro.
Em 6 de dezembro de 1889 foi a vila de São José do Avaí transformada em município de Itaperuna, sendo criada sua respectiva Comarca.
A cultura cafeeira foi um grande destaque na economia da cidade por mais de quatro décadas, tornando-a em 1927 a maior produtora nacional.

 Itaperuna


Do território original do município de Itaperuna foram desmembrados outros seguintes: Bom Jesus do Itabapoana em 1938, Natividade e Porciúncula em 1947 e Laje do Muriaé em 1962, ficando Itaperuna com seu atual contorno. Itaperuna também é destaque no esporte, em especial no futebol, em que o Itaperuna Esporte Clube, antigo Porto Alegre, já elevou o nome da cidade em várias competições.
O Itaperuna Esporte Clube já disputou memoráveis partidas contra os principais clubes da capital fluminense, conseguindo inclusive êxito em jogos contra Botafogo, Fluminense, Flamengo. O curioso é que contra o Vasco da Gama o Itaperuna jamais conseguiu um empate sequer, perdendo todos os jogos para o time carioca.
Macaé - Rio de Janeiro

Macaé é um município localizado no estado brasileiro do Rio de Janeiro. Possui uma área total de 1.215,904 km².
Macaé


As ligações da sede municipal são feitas por duas rodovias e uma ferrovia. A RJ-106 percorre todo o litoral, de Rio das Ostras a Carapebus, atravessando o centro da cidade. A RJ-168 corta o município de leste a oeste, acessando a BR-101, que alcança Conceição de Macabu, ao norte, e Rio das Ostras, ao sul. Com apenas um pequeno trecho asfaltado, a RJ-162 tem um traçado pelo interior, alcançando Trajano de Moraes, ao norte e Casimiro de Abreu, ao sul.
A ferrovia, que liga o Rio de Janeiro ao Espírito Santo, é usada quase que exclusivamente para transporte de cargas.

Rio das Ostras

 Macaé está localizada a uma latitude de -22º22'33" e longitude de -41º46'30" e faz divisa com as cidades de Quissamã, Carapebus, Conceição de Macabu, ao Norte; Rio das Ostras e Casimiro de Abreu, ao Sul; Trajano de Moraes e Nova Friburgo, a Oeste; e com o Oceano Atlântico, a Leste.

Macaé



Macaé

Niteroi - Rio de Janeiro

Niterói é um município do estado do Rio de Janeiro. Conta com uma população estimada de 479.384 habitantes (2009) e uma área de 129,375 km².

Niteroi



Niteroi


Nova Friburgo - Rio de janeiro 

Nova Friburgo é uma cidade, sede do município de mesmo nome, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil.
Localiza-se no centro-norte do estado do Rio de Janeiro, na região serrana, a 22º16'55" de latitude sul e 42º31'52" de longitude oeste, a uma altitude de 846 metros, distando 136 km da capital fluminense. Ocupa uma área de 935,81 km². Compreende os distritos de Riograndina, Campo do Coelho, Amparo, Conselheiro Paulino, Lumiar, São Pedro da Serra e Muri.
Sua população estimada no dia 1 de Julho de 2009 era de 178.653 habitantes, mas presume-se que na cidade já tenham quase 200 mil habitantes. As principais atividades econômicas são baseadas em: indústria de moda íntima, olericultura, caprinocultura e indústria (têxteis, vestuário, metalúrgicas e turismo). É a segunda maior cidade da região atrás apenas de Petrópolis e a principal cidade de uma região que compreende cerca de 12 municípios do centro norte fluminense, tendo influência em várias cidades da zona da mata mineira. É também a cidade mais fria do estado.

Nova Friburgo



Nova Friburgo 

  
Nova Friburgo


I